News

Home :: News
GAI

GAI

sexta, 18 janeiro 2019 22:45

​​​​​​​​​​​​​​​O Turismo de Portugal, em colaboração com as Entidades Regionais de Turismo, promove várias sessões de informação, integradas num roadshow pelo País, para dar a conhecer novas oportunidades de financiamento às empresas turísticas. As sessões, que iniciaram em janeiro e decorrem durante o 1.º trimestre de 2019, têm como objetivo fornecer às empresas toda a informação necessária à formalização de candidaturas às várias linhas de financiamento atualmente abertas.

A entrada é livre, mas sujeita a inscrição. 

Data e locais das sessões:

Algarve - Escola de Hotelaria e Turismo de Faro | 15 jan 2019 | 09h00-13h00

Centro | 29 jan 2019

Porto e Norte | 5 fev 2019

Alentejo e Ribatejo | 12 fev 2019

Lisboa | 19 fev 2019

A informação específica de cada sessão vai sendo disponibilizada oportunamente.​​​

sexta, 18 janeiro 2019 21:25

Espaço Empresa - Balcão único de atendimento dedicado às empresas.

Atendimento multicanal:
• presencial,
• digital,
• digital assistido
• e telefónico.

Loja do Cidadão de Santarém
Tel: 243 304 601
Email: espaço.empresa@cm-santarem.pt 

Dias úteis: das 09:00h às 18:00h.

Entidades:
• Agência para a Competitividade e Inovação, IP. - IAPMEI
• Turismo de Portugal, IP.
• Direção-Geral das Atividades Económicas - DGAE
• Agência para a Modernização Administrativa, I.P. - AMA
• Instituto dos Registos e do Notariado, I.P. - IRN
• Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, E.P.E. - AICEP
• Autoridade de Segurança Alimentar e Económica - ASAE
• Instituto Nacional da Propriedade Industrial - INPI
• Câmara Municipal de Santarém

Informações / Serviços

Agência para a Competitividade e Inovação, IP. (IAPMEI):
SIR - Alteração de Estabelecimento Industrial;
SIR - Com recibo pendente;
SIR - Consulta de Licença ou Título de Exploração;
SIR - Instalação de Estabelecimento Industrial;
SIR - Pedido por submeter;
Apoios à Criação de Empresas – Linhas de Crédito MICROINVEST e INVEST +;
Capital de Risco;
Certificação PME;
Financiamento empresarial – Bussiness Angels;
Financiamento empresarial – Crowdfunding;
Garantia Mútua;
Intermediação e Facilitação Institucional;
Linha de Crédito Capitalizar;
Programa Investe Jovem;
Sistema de Incentivos à Inovação Empresarial e Empreendedorismo;
Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (I&DT);
Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização;
Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E);
SIR - Informação sobre o estado do processo.

Turismo de Portugal, IP.:
Alojamento Local - Alteração de dados;
Alojamento Local - Cessação da atividade;
Alojamento Local - Consulta do Registo AL;
Alojamento Local - Registo de atividade;
Registo Nacional de agencias de viagens e turismo;
Registo Nacional de animação turistica (animação turística ou operador marítimo-turístico);
Registo Nacional de Turismo - Empreendimentos turísticos;
Registo Nacional de Turismo – Utilidade turística.

Direção-Geral das Atividades Económicas (DGAE):
Comércio por Grosso de Géneros Alimentícios de Origem Animal com Temperatura Controlada - Alteração de estabelecimento ou armazém;
Comércio por Grosso de Géneros Alimentícios de Origem Animal com Temperatura Controlada - Encerramento de estabelecimento ou armazém;
Comércio por Grosso de Géneros Alimentícios de Origem Animal com Temperatura Controlada - Exploração de estabelecimento ou armazém;
Comércio por grosso e a retalho de produtos alimentares - Exploração de estabelecimento ou armazém;
Comércio por grosso e a retalho de produtos alimentares - Alteração de estabelecimento ou armazém;
Comércio por grosso e a retalho de produtos alimentares - Encerramento de estabelecimento ou armazém;
Comércio a retalho em estabelecimento que pertença a uma empresa que utilize uma ou mais insígnias ou esteja integrado num grupo - Exploração de estabelecimento;
Comércio a retalho em estabelecimento que pertença a uma empresa que utilize uma ou mais insígnias ou esteja integrado num grupo - Alteração de estabelecimento;
Comércio a retalho em estabelecimento que pertença a uma empresa que utilize uma ou mais insígnias ou esteja integrado ou esteja integrado num grupo - Encerramento de estabelecimento;
Comércio a retalho em grande superfície comercial inserida em conjunto comercial - Exploração de estabelecimento;
Comércio a retalho em grande superfície comercial inserida em conjunto comercial - Alteração de estabelecimento;
Comércio a retalho em grande superfície comercial inserida em conjunto comercial - Encerramento de estabelecimento;
Comércio a retalho de animais de companhia e respetivos alimentos - Exploração de estabelecimento;
Comércio a retalho de animais de companhia e respetivos alimentos - Alteração de estabelecimento;
Comércio a retalho de animais de companhia e respetivos alimentos - Encerramento de estabelecimento;
Sex-shop - Exploração de estabelecimento;
Sex-shop - Alteração de estabelecimento;
Sex-shop - Encerramento de estabelecimento;
Oficina de manutenção e reparação de veículos automóveis, motociclos e ciclomotores - Exploração de oficina;
Oficina de manutenção e reparação de veículos automóveis, motociclos e ciclomotores - Alteração de oficina;
Oficina de manutenção e reparação de veículos automóveis, motociclos, e ciclomotores - Encerramento de oficina;
Adaptação e reparação de veículos automóveis utilizadores de gases de petróleo liquefeito (GPL) e gás natural comprimido e liquefeito (GN) - Exploração de oficina;
Adaptação e reparação de veículos automóveis utilizadores de gases de petróleo liquefeito (GPL) e gás natural comprimido e liquefeito (GN) - Alteração de oficina;
Adaptação e reparação de veículos automóveis utilizadores de gases de petróleo liquefeito (GPL) e gás natural comprimido e liquefeito (GN) - Encerramento de oficina;
Lavandaria - Exploração de estabelecimento;
Lavandaria - Alteração de estabelecimento;
Lavandaria - Encerramento de estabelecimento;
Centro de bronzeamento artificial - Exploração de estabelecimento;
Centro de bronzeamento artificial - Alteração de estabelecimento;
Centro de bronzeamento artificial - Encerramento de estabelecimento;
Piercings e tatuagens - Exploração de estabelecimento;
Piercings e tatuagens - Alteração de estabelecimento;
Piercings e tatuagens - Encerramento de estabelecimento;
Restauração e bebidas - Exploração de estabelecimento;
Restauração e bebidas - Alteração de estabelecimento;
Restauração e bebidas - Encerramento de estabelecimento.
Feirante ou vendedor ambulante - Acesso à atividade;
Feirante ou vendedor ambulante - Alteração da atividade;
Feirante ou vendedor ambulante - Cessação da atividade;
Organização de feira por entidade privada - Comunicação;
Restauração e bebidas não sedentárias - Exercicio da actividade;
Restauração e bebidas não sedentárias - Alteração da atividade;
Restauração e bebidas não sedentárias - Cessação da atividade;
Funerária - Alteração de estabelecimento;
Funerária – Comunicação de alteração de responsável técnico;
Funerária – Comunicação de responsável técnico;
Funerária - Encerramento de estabelecimento;
Funerária - Exploração de estabelecimento;
Funerária – Tanatopraxia – Registo de tanatoprator.

Agência para a Modernização Administrativa, I.P. (AMA):
Aceder ao Dossier Electrónico da Empresa (DEE) - Consulta;
Assinar documento PDF digitalmente;
Registo no BDE com CC ou CMD;
Chave Móvel Digital - Alteração PIN Presencial no Backoffice;
Chave Móvel Digital - Cancelar Registo Presencial no Backoffice;
Chave Móvel Digital - Desbloquear Registo Presencial no Backoffice;
Chave Móvel Digital - Registo Presencial no Backoffice;
Serviços de Autenticação - Criação Chave Móvel Digital.

Instituto dos Registos e do Notariado, I.P. (IRN):
Empresa Online - Constituição de Empresa Online;
Empresa Online - Pedido e Consulta de Certidão Permanente;
Marca na hora online;
Consulta de certificado de admissibilidade de nome (firma ou denominação);
Pedido Certificado de Admissibilidade On-line de Alteração de Nome, Sede ou Objeto para Entidade já Constituída;
Pedido de certificado para entidade a constituir;
Registo Comercial - Constituição de Empresa Online com Pacto Pré-Aprovado.

Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, E.P.E. (AICEP):
Academia Internacionalizar;
Acordos Bilaterais Celebrados por Portugal;
Análise de Exposição das Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens a um Mercado;
BD de Feiras e Eventos Internacionais em Portugal;
BD Oportunidades de Negócio;
Breve Apontamento Setorial de Mercado;
Caderno de Encargos;
Comércio Internacional Português de Bens;
Comércio Internacional Português de Bens por Mercado Produto;
ABC Mercado;
Comércio Internacional Português de Serviços;
Como Vender EM;
Condições Legais de Acesso ao Mercado;
Consultoria Estatística;
Consultoria Regulamentar;
Consultoria Setorial;
EM FOCO;
Estabelecimento de Empresas;
Estatísticas de Relacionamento Económico Bilateral de Portugal – Agrupamento Económico Regional;
Ficha de Mercado;
Ficha País (Portugal);
Flash País;
Flash Setorial;
GlobalMail;
GO TO MARKET;
Guia da Internacionalização;
Guia Prático de Acesso ao Mercado;
Informação sobre Empresas Portuguesas Fabricantes e Exportadoras;
Investimento Direto de Portugal com o Exterior - Princípio Ativo Passivo;
Investimento Direto de Portugal com o Exterior - Princípio Direcional;
Listas Empresas Estrangeiras;
MÓDULO TEMÁTICO;
Oportunidades e Dificuldades de Mercado;
Portugal - Comércio Internacional de Serviços;
Portugal - Principais Indicadores Económicos;
Portugalnews e NewsRoom;
Programa de E-commerce;
Revista Portugalglobal;
SEMINÁRIOS;
Síntese País;
Síntese Setorial de Mercado;
Workshop Negócios com Mercados de grande distância Psicológica;
Estatísticas de Relacionamento Económico Bilateral de Portugal por Mercado;
Informação sobre Empresas Portuguesas com IDPE;
Catálogo Fornecedores Portugueses;
CPAI;
Custos de Contexto;
Portal Cliente AICEP;
Estágios internacionais - INOV Contacto.
Agência Nacional de Inovação (ANI):
EUROSTARS;
FCT - Horizonte2020;
I&D Escala Europeia;
Internacionalização I&D;
Núcleos I&DT;
Programas Mobilizadores;
Projetos Demonstradores;
Proteção PI;
Rede EUREKA;
SIFIDE;
Projetos de I&D em Co-promoção.

Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE):
Coimas – Documentos para pagamento;
Coimas – Requerimento para pagamento a prestações;
Espaço Empresa Laboratórios - Dúvidas de preenchimento;
Espaço Empresa Laboratórios - Locais + Horário;
Espaço Empresa Laboratórios - Tipos e preços das análises;
Saldos e Liquidações;
Serviços do Laboratório de Segurança Alimentar - LSA;
Vendas em Leilão de artigos com metal precioso;
Vendas em Leilão promovido por prestamistas;
Vendas Especiais Esporádicas.

Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI):
Consulta de registo de marca;
Pesquisa de nome de marca;
Registo de logótipo online;
Registo de marca online.

Câmara Municipal de Santarém:
Informação e apoio à instrução de processos de licenciamento de edificação e urbanização, designadamente no âmbito do RJUE;
Informação e apoio à instrução de processos de licenciamento de atividades económicas e equipamentos de competência municipal, designadamente no âmbito do SIR e do RJACSR;
Informação e apoio à instrução de processos de licenciamento de atividades económicas e Informação sobre ocupação do espaço público e instalação de publicidade;
Informação sobre taxas e incentivos municipais, nomeadamente sobre o IMI, IMT e taxas de operações urbanísticas;
Informação sobre rede de infraestruturas de acolhimento empresarial e acessibilidades;
Informação sobre equipamentos públicos, equipamento de saúde, serviços, segurança e proteção civil;
Informação e apoio à submissão de candidaturas a projetos municipais de âmbito empresarial;
Informação às empresas sobre programas e mecanismos de apoio ao investimento e à criação de emprego, designadamente sobre incentivos e instrumentos de financiamento;
Informação e Intermediação institucional para apoio ao empreendorismo e a novos investimentos, nomeadamente com entidades públicas e privadas da envolvente empresarial e Centros de competência e transferência de conhecimento;
Outros serviços.

terça, 15 janeiro 2019 10:51

AgriEmpreende recebeu 21 candidaturas

O quarto e último concurso está previsto para fevereiro.
O terceiro Concurso de Ideias de Negócio do projeto AgriEmpreende recebeu 21 candidaturas. Os resultados finais serão divulgados em fevereiro. Os vencedores, que recebem prémios monetários e de incubação, vão participar num programa de aceleração. Também já há data para o quarto e último concurso, agendado para o mês de fevereiro. No total, nos três concursos já realizados, foram recebidas 60 ideias de negócio. O AgriEmpreende é um projeto inovador que potencia a geração de novas ideias de negócio, a criação de novos produtos e a concretização de novas empresas da fileira agroalimentar no Ribatejo e na região Centro. O AgriEmpreende tem como copromotores o AgroCluster o InovCluster.
A principal faixa etária dos candidatos (58% do sexo masculino e 42% do sexo feminino) vai dos 31 aos 40 anos (38%). As restantes candidaturas dividem-se da seguinte forma: 21-30 (33%); 41-50 (14%); menos de 20 anos (10%) e mais de 51 anos (5%).

A nível de escolaridade, 43% contam com o nível 6 (Licenciatura) e 38% com o nível 7 (Mestrado). Os restantes 19% incluem candidaturas com nível 3 (Ensino secundário vocacionado para o prosseguimento de estudos a nível superior), nível 5 (Qualificação de nível pós-secundário não superior com créditos para o prosseguimento de estudos a nível superior) e nível 8 (Doutoramento).

No que se refere ao tipo de inovação, 76% das candidaturas referem-se a inovação de produto/serviço e 24% a inovação de processo. Os principais temas a concurso foram os seguintes: novos produtos agro-industrais, valorização de subprodutos agro-industriais, saúde e bem-estar e agro-turismo.

As NUT’s que mais contribuíram para as candidaturas foram o Centro, com 43% (dos quais o Médio Tejo representa 23% e outras NUT’s III representam 77%), o Alentejo, com 33%, e outras, com 5%.

Os vencedores do terceiro Concurso de Ideias de Negócio vão receber os seguintes prémios: 5000€ para o primeiro classificado, 3000€ para o segundo e 1000€ para o terceiro. Para além do valor monetário, o prémio inclui pré-incubação física para desenvolvimento do projeto em sistema de co-working por um período de 3 meses na Startup Santarém ou no Cei – Centro de Empresas Inovadoras, e incubação física pós início de atividade em sistema de co-working reservado por um período de 6 meses na Startup Santarém ou no Cei – Centro de Empresas Inovadoras. Os vencedores serão revelados no próximo mês.

O quarto e último Concurso de Ideias de Negócio está previsto para Fevereiro. Mais informações serão disponibilizadas em www.agriempreende.pt

O projeto AgriEmpreende visa a criação e dinamização de uma estrutura técnica de apoio ao empreendedorismo que potencia a geração de ideias de negócio, a criação de novos produtos e novas empresas na fileira agroalimentar, especialmente ao nível do empreendedorismo qualificado e criativo.

O projeto AgriEmpreende é promovido pelo Agrocluster em parceria com o Inovcluster, financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização.

»» Mais informação

segunda, 14 janeiro 2019 10:50

Formação Inicial de Empreendedores regressa em janeiro à região

Inscrições gratuitas


A NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém remodelou o curso de Formação Inicial de Empreendedores já realizado em 2012/2013 e voltou a lançá-lo, através da realização de duas sessões de esclarecimento. Administração das organizações, Noções de economia de empresa, Controlo de gestão e Marketing digital são os módulos que integram o curso.

A iniciativa foi apresentada no dia 20 de dezembro, em duas sessões de esclarecimento simultâneas, na sede da NERSANT em Torres Novas e na Startup Santarém, nesta cidade. Nas sessões, a associação empresarial explicou que criou a Formação Inicial de Empreendedores com o objetivo de qualificar os empreendedores da região a gerir com sucesso os seus novos negócios, tendo ainda informado que a ação se destina a desempregados e empregados.

A ação é composta por quatro módulos essenciais à boa gestão de qualquer negócio, podendo ser uma ferramenta importante para aqueles que têm ou estão a pensar em ter um negócio próprio. São “Administração das organizações” (25 horas), “Noções de economia de empresa” (25 horas), “Controlo de gestão” (50 horas) e “Marketing digital” (25 horas),

A participação no curso de Formação Inicial de Empreendedores é totalmente gratuita, uma vez que os módulos que integram este pacote de formação são ações financiadas pelo Fundo Social Europeu e Estado Português.

Para já, o curso irá abrir em Torres Novas e Santarém, já no próximo dia 21 de janeiro. Neste momento, informou a NERSANT aos presentes nas sessões de esclarecimento, já existe um número considerável de inscrições para avançar com o curso, pelo que os interessados que ainda pretendam ingressar nesta primeira edição, quer em Torres Novas, quer em Santarém, devem efetuar a sua inscrição com alguma celeridade. Os contactos para o efeito são os seguintes: dfq@nersant.pt ou 249 839 500.

»» Inscrições

 

sexta, 14 dezembro 2018 10:18

SI Inovação Produtiva
Alterações introduzidas pela reprogramação do Portugal 2020

Foi criada uma nova forma de financiamento no SI Inovação, passando este a incluir um sistema híbrido de apoio, que consiste na combinação de duas operações, uma com incentivo não reembolsável, associado à aferição do cumprimento dos resultados em função dos objetivos alcançados, e uma outra com um instrumento financeiro de garantia (nas mesmas condições do anterior incentivo reembolsável - reembolso de capital e isenção de juros).

As PME que se proponham investir com projetos elegíveis no SI Inovação beneficiarão logo à partida com uma componente de subsídio não reembolsável (anteriormente apenas atribuída sob a forma de isenção de reembolso após a aferição do cumprimento dos resultados), sendo o anterior subsídio reembolsável substituído por um empréstimo bancário sem juros.

Destaca-se a possibilidade de as empresas poderem apresentar candidatura sem recorrer a empréstimo bancário. Se prescindirem desta vertente, têm de realizar um mínimo de 25% dos capitais próprios previstos no plano de financiamento do projeto, até à data do primeiro pagamento.

Incentivo: Entre 15 e 75%

Condições:

50% do valor total através de subsídio não reembolsável, a atribuir no âmbito do SI Inovação;
50% do valor total através de um empréstimo bancário sem juros, associado a um instrumento financeiro financiado pelo Portugal 2020.

A componente do incentivo não reembolsável é atribuída a título não definitivo até à avaliação dos resultados do projeto, em função do grau de cumprimento das metas contratualmente fixadas.

No caso de projetos com investimento elegível superior a 15 milhões de euros, ou de Não PME's, a totalidade do apoio é calculado de acordo com o Aviso em vigor (ponto 11) e será atribuído através de um incentivo não reembolsável no âmbito do SI Inovação (nos termos do n.º 2 do artigo 31.º do RECI).

Beneficiários:

Empresas de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica.

Saiba mais »»

Concursos:

Aviso nº 31/SI/2018 SI Inovação Produtivo

Candidaturas:

até 15/3/2019

sexta, 14 dezembro 2018 10:07

SI Empreendedorismo Qualificado e Criativo
Alterações introduzidas pela reprogramação do Portugal 2020

Foi criada uma nova forma de financiamento no SI Empreendedorismo Qualificado e Criativo, passando este a incluir um sistema híbrido de apoio, que consiste na combinação de duas operações, uma com incentivo não reembolsável, associado à aferição do cumprimento dos resultados em função dos objetivos alcançados, e uma outra de reembolsável.

As PME que se proponham investir com projetos elegíveis no SI Empreendedorismo Qualificado e Criativo beneficiarão logo à partida com uma componente de subsídio não reembolsável (anteriormente apenas atribuída sob a forma de isenção de reembolso após a aferição do cumprimento dos resultados).

Incentivo: Entre 35 e 75%.

Condições:
50% do valor total através de subsídio não reembolsável;
50% do valor total através de subsídio reembolsável.
A componente do incentivo não reembolsável é atribuída a título não definitivo até à avaliação dos resultados do projeto, em função do grau de cumprimento das metas contratualmente fixadas.

O SI Empreendedorismo Qualificado e Criativo destina-se a PME’s com menos de 2 anos.

São suscetíveis de financiamento os projetos a dinamizar em setores com fortes dinâmicas de crescimento, incluindo os integrados em indústrias criativas e culturais, e/ou setores com maior intensidade de tecnologia e conhecimento ou que valorizem a aplicação de resultados de I&D na produção de novos bens e serviços, valorizando a articulação como ecossistema do empreendedorismo.

Saiba mais »»

Poderão ser consultadas as especificidades do SI Empreendedorismo nos artigos 19.º ao 38.º da Portaria n.º 57-A/2015 de 27 de fevereiro.

Concursos:

Aviso nº 33/SI/2018 SI Empreendedorismo Qualificado e Criativo

Candidaturas até 15/3/2019 

sexta, 14 dezembro 2018 09:46

Formação Inicial de Empreendedores

Tipo Formação: Financiada - DLD
Área Gestão e administração
Custo 0€
Duração 125 horas
Horário Laboral ou Pós-Laboral

Datas disponíveis: 21 JAN 2019

Duração: 125 horas

Percurso de Nível: 4

Objetivos:

Adquirir e desenvolver competências nas quais muitos potenciais empreendedores se sentem deficitários sobretudo ao nível da Gestão.
Destinatários/pré-requisitos:

Desempregados de Longa Duração (DLD);
Desempregados não DLD (Desempregados longa Duração), com habilitações inferiores ao ensino secundário.

Benefícios:

Certificado de qualificações (desde que com aproveitamento e mínimo 90% assiduidade).
Seguro de acidentes pessoais, para desempregados.
Bolsa de formação - apoio atribuído a desempregados que não sejam beneficiários de subsídio de desemprego, subsídio social de desemprego e rendimento social de inserção;
Subsídio de refeição de 4,77€ por dia de presença, apenas se concluírem a formação com aproveitamento, nos dias em que o período de formação seja igual ou superior a três horas.
Formação 100% Financiada.

Saiba mais »»

[Inscrições]

 

CANDIDATURAS ABERTAS PDR2020

10.2.1.3. DIVERSIFICAÇÃO DE ATIVIDADES NA EXPLORAÇÃO 

Objetivos e prioridades visadas:

Estimular o desenvolvimento, nas explorações agrícolas, de atividades que não sejam de produção, transformação ou comercialização de produtos agrícolas previstos no anexo I do TFUE, criando novas fontes de rendimento e de emprego;
Contribuir diretamente para a manutenção ou melhoria do rendimento do agregado familiar, a fixação da população, a ocupação do território e o reforço da economia rural.

Beneficiários:

- Pessoas singulares ou coletivas que exerçam a atividade agrícola;
- Membros do agregado familiar das pessoas singulares, mesmo que não exerçam a atividade agrícola.

Tipologia das intervenções a apoiar:

A tipologia de intervenção a apoiar respeita a investimentos em atividades económicas não agrícolas cujo custo total elegível, apurado em sede de análise, seja igual ou superior a 10.000 € ou igual ou inferior a 200.000 €.

Forma e Níveis do Apoio:

- Os projetos de investimento serão apoiados até uma despesa elegível de 200.000 €, de acordo com as seguintes regras:
. Investimentos superiores a 10.000 €;
. Incentivo não reembolsável até 40% das despesas elegíveis, sendo esse limite de 50% quando houver criação de postos de trabalho.
- Limite de um montante de apoio por beneficiário de 150.000 € durante o período de programação. As ajudas concedidas estarão conforme o Reg. (UE) 1407/2013 relativo aos auxílios de minimis.

Alguns exemplos de atividades económicas elegíveis:

» Unidades de alojamento turístico nas tipologias de turismo de habitação, turismo no espaço rural nos grupos de agroturismo ou casas de campo, alojamento local, parques de campismo e caravanismo e de turismo da natureza nas tipologias referidas - CAE 55202; 55204; 553; 559 apenas no que diz respeito a alojamento em meios móveis; 55201.
» Serviços de recreação e lazer - CAE 93293; 91042;93294.
» Nas CAE da divisão 01 são elegíveis as atividades dos serviços relacionados com a agricultura (01610) ou com a silvicultura e exploração florestal (024).

Despesa Elegível:

Serão consideradas elegíveis as despesas relacionadas com as atividades a desenvolver, designadamente: elaboração de projetos; remodelação/recuperação de construções; construções de pequena escala; aquisição de equipamentos; viaturas indispensáveis à boa execução do projeto; outro tipo de despesas associadas a investimentos intangíveis. Não são elegíveis os custos de manutenção decorrentes do uso normal das instalações.

Anúncio: 003/APRODER/10213/2018

Periodo de Candidaturas: de 2018-10-22 às 09:00:00 a 2018-12-19 às 17:29:59

[+] INFORMAÇÃO


CANDIDATURAS ABERTAS PDR2020

10.2.1.2 - PEQUENOS INVESTIMENTOS NA TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO

Objetivo:

As candidaturas apresentadas devem contribuir para o processo de modernização e capacitação das empresas de transformação e comercialização de produtos agrícolas.

Tipo de Projetos:

Apoio a pequenos investimentos através da criação ou modernização de unidades de transformação e comercialização de produtos agrícolas que envolvam investimentos tangíveis e intangíveis de pequena dimensão até um máximo 200 000 € de investimento destinados a melhorar o desempenho competitivo das unidades agroindustriais, garantindo simultaneamente a sustentabilidade ambiental das atividades económicas.

Beneficiários:

Pessoas singulares ou coletivas legalmente constituídas à data de apresentação da candidatura.

Despesa Elegível:

Construção, aquisição, incluindo locação financeira, ou requalificação de bens imóveis; compra ou locação-compra de máquinas e equipamentos novos, software aplicacional, estudos, propriedade industrial, diagnósticos, auditorias, planos de marketing e “branding” e projetos de arquitetura e de engenharia associados ao investimento. Não são elegíveis investimentos de substituição.

Forma e Níveis do Apoio:

Os apoios são concedidos para um montante de investimento até 200.000€, sob a forma de subsídios não reembolsáveis até 35% do investimento elegível, podendo atingir 45% se a unidade se situar em região menos desenvolvida.
Limite de um montante de apoio por beneficiário de 150.000€ durante o período de programação.

Anúncio: 003/APRODER/10212/2018

Periodo de Candidaturas: de 2018-10-22 às 09:00:00 a 2018-12-19 às 17:29:59

[+] INFORMAÇÃO

quinta, 04 outubro 2018 09:26

  

Com a paisagem rural ribatejana como pano de fundo, encontramos este pequeno paraíso pertencente à família há gerações, onde o tempo para e se permite um contacto com uma envolvente única e singular. Acreditamos nas tradições, alma do lugar e memórias guardadas no tempo passado desde da construção da Quinta no séc. XVIII. Procuramos oferecer a experiência de um lugar único e intemporal, onde encontramos a paz e calma em contraponto ao reboliço da vida quotidiana.

Convidamo-lo a ter a experiência da ligação de um passado repleto de recordações e histórias, com o futuro marcado no tempo, enquanto disfruta de um delicioso pequeno almoço servido á beira da nossa piscina num ambiente idílico.

 

quarta, 12 setembro 2018 10:47

Resultado de imagem para si2e + aproder

Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E)

ABERTAS CANDIDATURAS

ALENTEJO 2020 - Programa Operacional Regional do Alentejo – APRODER
EDL - “Terra de Conhecimento, Inovação e Competitividade”
AVISO ALT20-M8-2018-18 - Encerramento: 31-12-2018


Prioridade de Investimento

“Investimentos no contexto de estratégias de desenvolvimento local de base comunitária”
As candidaturas podem mobilizar os dois Fundos da Coesão, FEDER e FSE, de forma isolada ou conjunta, com o objetivo de criação ou expansão de micro e pequenas empresas, envolvendo um projeto de investimento e a criação líquida de postos de trabalho, em qualquer das modalidades de apoio.

Tipologia das operações

a) Criação de micro e pequenas empresas ou expansão ou modernização de micro e pequenas empresas criadas há menos de cinco anos;
b) Expansão ou modernização de micro e pequenas empresas criadas há mais de cinco anos.
a) Através do FEDER para as despesas previstas no n.º 1 do artigo 10.º do SI2E;
b) Através do FSE para as despesas previstas no n.º 2 do artigo 10.º do SI2E.
Em sede de candidatura o beneficiário deverá obrigatoriamente indicar se pretende recorrer às duas

Modalidades de Apoio

As operações podem ser financiadas por via de duas componentes (FEDER/FSE), beneficiando de ambas ou apenas de uma delas, a saber:
a) FEDER para as despesas previstas no n.º 1 do artigo 10.º do SI2E;
b) FSE para as despesas previstas no n.º 2 do artigo 10.º do SI2E.

Beneficiários

Pequenas e Micro Empresas (Recomendação n.º 2003/361/CE);
Encontra-se assim abrangida qualquer entidade que, independentemente da sua forma jurídica, exerce uma atividade económica, através da oferta em concorrência de bens ou serviços no mercado, sendo, nomeadamente, consideradas como tais as entidades que exercem uma atividade artesanal ou outras atividades a título individual ou familiar, as sociedades de pessoas ou as associações que exercem regularmente uma atividade económica.

Área geográfica de aplicação

Todas as freguesias do Concelho de Santarém, com exceção de parte do perímetro urbano da cidade de Santarém. A elegibilidade geográfica é determinada pelo local onde se realiza o projeto.

Setores de Atividade

São elegíveis, nos termos do artigo 5.º do SI2E, as operações inseridas em todas as atividades económicas, com exceção das ali expressamente indicadas.

Forma e limite dos apoios

Os incentivos a conceder revestem a natureza de subvenção não reembolsável.
O montante global dos apoios FSE e FEDER a conceder não pode exceder, por empresa, o limite de 200 000 euros num período de três anos.

Incentivo ao Investimento

O apoio FEDER é apurado, com base no investimento elegível aprovado, através da aplicação de uma taxa base de 40% para os investimentos localizados em territórios de baixa densidade ou 30% para os investimentos localizados nos restantes territórios. À referida taxa base acrescem as seguintes majorações, até um máximo de 20 pontos percentuais (pp).

Incentivo ao Emprego

O financiamento relativo à criação dos postos de trabalho para desempregados ou jovens à procura do primeiro emprego ou para a criação do próprio emprego, é atribuído através da comparticipação total das remunerações de postos de trabalho criados e tem como limite mensal o valor correspondente ao Indexante de Apoio Social (IAS), observando os períodos máximos de 9 meses, para contratos de trabalho sem termo ou criação do próprio emprego, e de 3 meses, para os contratos de trabalho a termo, com uma duração mínima de 12 meses. Em algumas situações, estão previstas majorações de 3 meses.
Fases de apresentação de candidaturas
Fase 1: até 12/10/2018, 18horas
Fase 2: até 31/12/2018, 18horas

Esta informação não dispensa a consulta da legislação em vigor

Consulte o AVISO ALT20-M8-2018-18

quarta, 11 julho 2018 16:52

O IAPMEI disponibiliza um novo mecanismo de financiamento e crédito para apoiar a criação de empresas e o desenvolvimento de novos negócios, por microempresas na fase inicial do seu ciclo de vida através de financiamento bancário, com garantia mútua.

A nova Linha de Apoio Desenvolvimento Negócio 2018 - ADN Start Up, lançada juntamente com o Turismo de Portugal, a SPGM, a Agrogarante, a Garval, a Lisgarante e a Norgarante, destina-se a microempresas criadas há menos de quatro anos que disponham de, pelo menos, 15% de capitais próprios. No caso da microempresa ainda não estar criada, a garantia será emitida após constituição formal da empresa.

Os pedidos de financiamento poderão estender-se por um máximo de oito anos, estando prevista uma garantia de 75% para os valores em dívida contraídos através desta nova linha de financiamento.

Linha de Apoio ao Desenvolvimento de Negócio 2018 - ADN Start Up

Montante da Linha de Crédito: 10 M€

Objetivo: Apoiar a criação de empresas e o desenvolvimento de novos negócios, por empresas de pequena dimensão, na fase inicial do seu ciclo de vida através de financiamento bancário, com garantia mútua.

Beneficiários: Microempresas na fase inicial do seu ciclo de vida, sediadas em território nacional, que cumpram os seguintes requisitos:

Microempresas com 4 ou menos anos de existência;
Exerçam atividades enquadradas nas CAE elegíveis;
Não tenham incidentes não regularizados junto da banca, à data de emissão de contratação;
Ter a situação regularizada perante a administração fiscal e a segurança social;
Microempresas com Capital Próprio >= 15%;
No caso de a microempresa ainda não estar criada, a garantia apenas será emitida após constituição formal da empresa.

Prazo de Vigência: até 12 meses após a abertura. O prazo pode ser extensível por iguais períodos ao do prazo de vigência, salvo denúncia da SPGM por utilização total das verbas.

Montante Máximo Financiamento por Empresa: 50.000 €, podendo elevar-se para 100.000 . O valor pode elevar-se para 100.000 € caso as características da atividade da empresa demonstrem a necessidade de aquisição de equipamento produtivo ou sistema produtivo integrado que apresente um valor de aquisição e instalação >= 150.000 €.

Prazo das Operações: Até 8 anos

Período de Carência: Até 24 meses

Amortização de Capital: Prestações constantes, iguais, mensais, trimestrais, semestrais ou anuais, e postecipadas.

Garantia Mútua: 75% do valor do capital em dívida em cada momento do tempo.

Operações Elegíveis: Operações de financiamento bancário.

Comissão de Garantia, Juros e Comissões de Serviços: Integralmente suportados pela empresa.

Spread Máximo: 3,75%

Regime legal de auxílios: Regime comunitário de auxílios de minimis ou Regime Geral de Isenção por Categorias (RGIC).

Entidades Financiadoras: IAPMEI - Agência para a Competitividade e Inovação, IP e Turismo de Portugal, IP

Bancos Protocolados

Banco Atlântico Europa, S.A.
Banco BPI, S.A.
Banco Comercial Português, S.A.
Banco Santander Totta, S.A.
Bankinter, S.A. – Sucursal em Portugal
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Leiria, CRL
Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo, CRL
Caixa Geral de Depósitos, S.A.
EuroBic, S.A.
Novo Banco, S.A.
Novo Banco dos Açores, S.A.

Entidade de Contacto:

SPGM - Sociedade de Investimento
Tel.: 226 165 280
Email: spgm@spgm.pt

 

 

quarta, 11 julho 2018 13:33

 

Programa Startup Portugal+

20 novas medidas para apoiar o empreendedorismo

O Governo já apresentou as medidas que irão fazer parte do Programa Startup Portugal+, no âmbito da promoção do empreendedorismo. De entre elas destacamos uma nova edição do StartUP Voucher, uma medida que apoia que o desenvolvimento de projetos empresariais que se encontrem em fase de ideia.

Foram apresentadas novas medidas de estímulo a setores como o turismo, comércio e restauração; mas também as alterações que outros programas que já existem sofreram, como o StartUP Voucher, que nesta edição irá permitir a candidatura de projetos da região de Lisboa.

O programa Startup Portugal+ foi apresentado esta segunda-feira, no Centro de Inovação e empreendedorismo LACS, num evento que contou com a presença do Primeiro Ministro.

O Programa Startup Portugal+ dá um novo impulso à estratégia inicial e atua perante os desafios emergentes, através de um conjunto de novas medidas destinadas a atrair mais talento, explorar novos mercados e dar mais apoio através de intervenções junto do ecossistema, no financiamento e no apoio à internacionalização.

Além da consolidação e reativação de algumas medidas do programa original, são agora lançadas 20 novas medidas igualmente divididas por três eixos de atuação: “+Ecossistema”, “+Financiamento” e “+Internacionalização”.

 

CONHEÇA AS MEDIDAS DO PROGRAMA STARTUP PORTUGAL+ :

 

REEDIÇÃO DE MEDIDAS DO PROGRAMA ORIGINAL

1. Startup Voucher

Apoio destinado ao desenvolvimento de projetos empreendedores na fase da ideia, que apoia a fase de projeto. Consiste na atribuição de diversas ferramentas técnicas e financeiras, que incluem um subsídio mensal de cerca de 700 euros, destinadas a viabilizar a criação de novas empresas inovadoras por jovens empreendedores.
Novidade: Novo aviso de candidaturas aberto a 9 de julho, 400 vagas, incluindo pela primeira vez projetos candidatos da região de Lisboa. A medida passa a contar com 2 avisos por ano.

2. Programa Momentum

Apoio destinado a recém-graduados e finalistas do Ensino Superior que tenham beneficiado de bolsas de ação social durante o curso e que, no final dos estudos, querem desenvolver uma ideia de negócio, através da candidatura a um conjunto de apoios que viabilizem o seu projeto. Este programa promove a igualdade e a inclusão, garantindo que nenhum jovem deverá deixar de desenvolver as suas ideias de negócio por falta de condições financeiras.
Novidade: O número de projetos apoiados no âmbito deste programa aumentará significativamente. Estima-se a abertura de 50 vagas por ano.

3. Vale Incubação

Apoio a empresas com menos de um ano na área do empreendedorismo, através da contratação de serviços de incubação prestados por incubadoras certificadas. Os apoios incluem: serviços de gestão, serviços de marketing, assessoria e apoio jurídico, apoio à digitalização e proteção da propriedade intelectual, e apoio a candidaturas a concursos de empreendedorismo e inovação.
Novidade: Aceitação de candidaturas em contínuo e aumento do valor máximo do apoio para 7.500 euros, exceto em Lisboa (5.000 euros). Próximo aviso será aberto em julho.

4. Missões de Internacionalização (Missions abroad)

Aumentar o apoio e a promoção da participação de startups portuguesas em grandes eventos de tecnologia internacionais e nas Comitivas Oficiais com membros do Governo em visitas ao estrangeiro, incluindo nas missões promovidas por entidades públicas como a AICEP e Turismo de Portugal. Pretende-se assim continuar a promover a visibilidade das startups nacionais no estrangeiro e de Portugal como país sofisticado e inovador, seguindo uma estratégia concertada.

5. Road2WebSummit

Apoiar e preparar as startups portuguesas para que estas maximizem os proveitos resultantes da participação no maior evento de empreendedorismo tecnológico do mundo. Em 2018, o número de startups portuguesas a participar no Web Summit vai registar um novo aumento. Depois de 65 startups apoiadas no primeiro ano, e de 150 no segundo, em 2018, haverá 200 startups portuguesas, sendo que a participação portuguesa no âmbito desta iniciativa incluirá também 25 empresas corporates.

 

AS 20 NOVAS MEDIDAS DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO

+ ECOSSISTEMA

1. Startup Hub – Plataforma digital de mapeamento e matchmaking

Criação de uma plataforma digital de mapeamento das startups e das incubadoras nacionais, que incluirá informação centralizada sobre todo o tipo de apoios disponíveis para o ecossistema de empreendedorismo nacional. A plataforma incluirá ainda uma ferramenta destinada a aproximar as startups de empresas da indústria e serviços, através do lançamento de desafios tecnológicos pelas empresas e da apresentação de soluções inovadoras que respondam a essa procura pelas startups.

2. Pitch Voucher

O Pitch Voucher consistirá numa senha de acesso atribuída às startups para que estas possam ter a oportunidade de desenvolver relações comerciais/empresariais com empresas corporates procurando assim garantir financiamento e novos clientes, assim como mentoring. Esta medida visa facilitar o acesso das startups a empresas consolidadas instaladas em Portugal, estimulando e fortalecendo as relações entre ambas. Esta iniciativa será associada ao desenvolvimento do Startup Hub.

3. Formação para Empreendedores

Cursos de formação destinados a empreendedores e colaboradores de startups comparticipados a 90% através de fundos COMPETE. Esta medida permitirá aumentar a oferta formativa das incubadoras e responder às necessidades identificadas pelos empreendedores, capacitando-os para enfrentar os desafios exigentes relacionados com o desenvolvimento de negócio numa startup. Meta: 1200 formandos.

4. InovGov – soluções inovadoras de startups para o setor público

Pretende-se aproximar as startups do setor público e promover as soluções inovadoras desenvolvidas pelas mesmas junto dos gestores de entidades públicas de diferentes setores de atuação. Esta medida visa reduzir barreiras existentes e promover a modernização do Estado, através da difusão e transmissão de conhecimento para que empresas inovadoras saibam como podem aceder e concorrer a concursos públicos nas suas áreas de negócio e para que os responsáveis pela gestão de compras públicas tomem conhecimento dos produtos ou serviços inovadores desenvolvidos em Portugal.

5. Open Kitchen Labs

Apoiar startups que pretendam testar novos produtos, serviços ou conceitos na área da restauração. As instalações e equipamentos da rede de 12 Escolas de Turismo em todo o país serão disponibilizadas para a realização de testes e ensaios que os empreendedores necessitem de fazer para desenvolver novos produtos e serviços. Através desta medida as startups poderão avaliar e validar a viabilidade dos seus negócios de forma sustentada.

6. Energy Challenge

Apoio a startups de base tecnológica para desenvolverem ideias e projetos inovadores na área da energia, que ajudem a resolver desafios tecnológicos existentes. Será financiado o desenvolvimento inicial de soluções tecnológicas inovadoras nas áreas das energias renováveis e eficiência energética (medição, gestão, tecnologias de redução de consumo, materiais) e da geração a partir de fontes renováveis. Incluirá o apoio a planos de negócio e análise de risco, a proteção de propriedade intelectual, desenvolvimento de protótipos laboratoriais ou atividades de certificação e marcação, com vista a desenvolver produtos e serviços inovadores e com forte potencial de mercado e de internacionalização. O financiamento será entre 20 e 50 mil euros por projeto, não reembolsáveis.

7. Inov Comércio

O comércio em Portugal é constituído predominantemente por empresas de pequena dimensão, em contexto de gestão familiar, com dificuldade para captar novos talentos e fomentar a modernização do setor. Através do Inov Comércio pretende-se lançar concursos para valorizar ideias e projetos inovadores, que contribuam para estimular o empreendedorismo e inovação na área do comércio.

 

+ FINANCIAMENTO

8. Fundos de Coinvestimento internacional

Implementação de um fundo de coinvestimento internacional para domiciliar fundos de capital de risco em Portugal. Pretende-se atrair para Portugal fundos de capital para investimento em startups em regime de coinvestimento com origem em instituições multilaterais internacionais, assegurando uma contrapartida pública nacional que, em

conjunto com a contrapartida privada, permita atingir um coinvestimento até entre 10 e 50 milhões de euros por fundo, a realizar faseadamente, para dotação dos respetivos instrumentos financeiros. O envelope financeiro deste instrumento permite criar fundos até 200 milhões de euros.

9. Linha ADN Start Up

Criação de um apoio financeiro, através de uma linha de crédito com garantia específico para startups e microempresas na fase inicial do seu ciclo de vida. Esta linha tem 10 milhões de euros disponíveis para empresas com 4 ou menos anos de existência e com um mínimo de 15% de capitais próprios. O montante máximo de financiamento por empresa é de 50 mil euros podendo elevar-se para o dobro em condições específicas. O prazo das operações apoiadas poderá ir até 8 anos, contando todas as startups com um período de carência de capital até 24 meses. A linha ADN Start Up inclui mecanismos de contragarantias direcionado a startups, ativando assim o Sistema de Garantia Mútua junto do ecossistema nacional de empreendedorismo e permitindo que as mesmas desenvolvam uma estratégia de crescimento e sustentabilidade.

10. KEEP- Key Employee Engagement Program

Incentivo fiscal para os trabalhadores das empresas do setor tecnológico com menos de 6 anos tendo em vista o estímulo à competitividade e à capacidade de retenção de quadros altamente qualificados. Através desta iniciativa, os trabalhadores que detenham participações em capital da empresa, através de um prémio salarial ou aquisição individual, estarão isentos em sede de IRS na remuneração incluída nessas participações em capital.

11. Instrumentos de dinamização e coinvestimento com incubadoras e aceleradoras

Criação de apoios a programas de aceleração e linhas de cofinanciamento com incubadoras e aceleradoras, num modelo idêntico às linhas desenvolvidas com Business Angels e Capitais de Risco. Este novo mecanismo facilitará o acesso a capital por parte dos empreendedores e fomentará o aparecimento de programas de aceleração que envolvam várias incubadoras da rede nacional de incubadoras, seguindo o modelo que tem vindo a ser implementado por incubadoras e aceleradoras internacionais.

12. Capital + aceleração

Criação de uma linha de financiamento a operações de entrada em capital que permita acelerar o crescimento das startups, melhorando o seu acesso a diferentes mecanismos de financiamento. Este instrumento será operacionalizado pela IFD e prevê que as operações de investimento em capital nas startups possam ser revertidas a médio prazo, com a transformação das participações em empréstimo a médio e longo prazo, utilizando um esquema fixo de reembolsos. Através desta linha as startups garantem um financiamento por capital que poderão recuperar num prazo e esquema de recompra pré-definido, recuperando assim as participações no capital da empresa.

13. Linhas de financiamento para projetos tecnológicos no Turismo

Lançamento de instrumentos de apoio ao desenvolvimento de projetos tecnológicos no Turismo, incluindo soluções inovadoras na área da digitalização de experiências turísticas e projetos baseados em realidade virtual, realidade aumentada e inteligência artificial. Será criada uma linha de apoio específica à Digitalização no Turismo no âmbito do Programa Valorizar e a Portugal Ventures lançará uma call de capital de risco – Turismo tech.

14. CALL MVP – Minimum Viable Products

A iniciativa visa possibilitar o acesso a investimento de capital de risco por parte de projetos de novas ideias, tecnologias, produtos ou serviços que prevejam a criação de um MVP e sua comercialização no mercado global. Serão cobertas entre outras as áreas de Digital (Enterprise, Cibersecurity, Networks, Artificial Intelligence, AR/VR, Marketplaces, Blockchain e IoT) e Engineering & Manufacturing (New Materials, Electronics, Robotics, Cleantech, Agrotech, SeaTech). Os projetos selecionados pela Portugal Ventures beneficiarão de um investimento de até 1 milhão de euros.

 

+ INTERNACIONALIZAÇÃO

15. METRO Accelerator for Hospitality powered by Techstars

Captação para Portugal do programa de aceleração internacional da rede Techstars - uma das maiores aceleradoras mundiais - focado na utilização de tecnologia no setor da hospitalidade (alojamento & restauração). O METRO Accelerator é um programa intensivo que envolve consultoria, aprendizagem conjunta, teste de produto e mentoria para desenvolvimento de negócio e atração de mais investimento. Permite o acesso das startups selecionadas a mais de 500 restaurantes e hotéis, através dos quais as startups poderão testar e validar os seus produtos ou serviços, assim como estabelecer contactos com diversos investidores internacionais da rede Techstars. A atração deste programa para Portugal contribuirá para a internacionalização do ecossistema de empreendedorismo nacional, assim como promove o desenvolvimento e aceleração de projetos empresariais inovadores na área do turismo. Financiamento: 500 mil euros.

16. Espaço empresa para startups – Fast track to land in Portugal

Criação de dois pontos de atendimento para empreendedores estrangeiros onde se garanta atendimento bilingue (português e inglês), e de um pacote específico de informação em várias línguas para startups que se pretendam instalar em Portugal, reduzindo barreiras linguísticas e orientando os empreendedores internacionais para beneficiarem dos apoios existentes e de um processo de criação da empresa simples e rápido. Este espaço funcionará como um ponto de informação centralizado e integrado, destinado aos empreendedores nacionais e internacionais que desejem realizar serviços e obter informações inerentes à criação e desenvolvimento da sua atividade, incluindo todo o tipo de apoios disponibilizados ao ecossistema nacional de empreendedorismo.

17. Tech Visa – Atração de talento para Portugal

Programa direcionado para empresas tenológicas e inovadoras, inseridas no mercado global, que pretendam atrair novos quadros altamente qualificados e especializados para Portugal que sejam nacionais de países não inseridos no Espaço Schengen. A análise da elegibilidade e do mérito das empresas candidatas ficará à responsabilidade do IAPMEI. O Tech Visa vai acelerar e facilitar a entrada de quadros altamente qualificados no mercado de trabalho português, ficando os mesmos dispensados de entrevista em Embaixada/Consulado português no país de origem para obtenção do visto de residência.

18. Digital Hackathons nas áreas do Comércio, Turismo e Indústria

Promover a realização de Hackathons temáticos para acelerar a transformação digital nos setores do Comércio, Turismo e Indústria. Pretende-se que as startups resolvam desafios tecnológicos concretos identificados nestes setores, aumentando-se assim a visibilidade e reconhecimento das mesmas. No caso específico do comércio esta iniciativa permitirá responder aos desafios relacionados com o surgimento de novas tecnologias e novos hábitos de consumo. Será uma medida aberta à comunidade internacional e que poderá contribuir também para a internacionalização dos setores em questão.

19. Abrir Centro de Inovação no Turismo com uma Digital Academy e uma Incubadora especializada no setor

Criação de um centro dinamizador de inovação de turismo, envolvendo os diversos stakeholders nacionais e internacionais do setor. Terá como missão promover a inovação no setor do turismo, apoiando o desenvolvimento de novas ideias de negócio, o desenvolvimento e experimentação de projetos e a capacitação das empresas no domínio da inovação e da economia digital. No seio do Centro de Inovação será um implementada a Digital Tourism Academy - um programa de capacitação das empresas para o digital - e uma incubadora de empresas especializadas no desenvolvimento de soluções inovadoras para o setor do Turismo, que pretende também atrair também startups internacionais.

20. Think Tank de apoio ao Mercado Único Digital para a Europa

Criação de um think tank para analisar e desenhar medidas para ajudar as startups a escalarem dentro do mercado europeu, acelerar significativamente a criação do Mercado Único Digital (DSM) e afirmar Portugal na liderança de uma política inovadora para o empreendedorismo digital na Europa. A associação Startup Portugal ficará responsável por moderar e promover o diálogo com os principais parceiros em Bruxelas e nos Estados Membros da UE, nomeadamente com as principais associações de startups europeias. Este grupo irá propor novas medidas para facilitar a internacionalização de startups dentro da Europa, para modernizar a indústria.

 

 

Contactos

  •  gai@cm-santarem.pt
  •  +351 243 304 601