News

Home :: News
GAI

GAI

Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego | SI2E

O Sistema de Incentivos visa apoiar de forma simplificada pequenos investimentos empresariais de base local e complementar os atuais incentivos às empresas do domínio da competitividade.

A NERSANT vai realizar um conjunto de sessões de esclarecimento por toda a região, devendo a calendarização das mesmas ser disponibilizada em breve.

Tipologias:

São passíveis de financiamento do SI2E as seguintes tipologias de operações:

• Criação de micro e pequenas empresas ou expansão ou modernização de micro e pequenas empresas criadas há menos de cinco anos;

• Expansão ou modernização de micro e pequenas empresas criadas há mais de cinco anos.

Apoia:

• Micro e pequenas empresas, inseridas em todas as atividades económicas (com exceção das que integrem o setor da pesca e da aquicultura; o setor da produção agrícola primária e florestas; o setor da transformação e comercialização de produtos agrícolas; atividades financeiras e de seguros; lotarias e outros jogos de aposta);

• Investimentos até 235.000 € (100.000 € nos DLBC);

• Criação líquida de postos de trabalho;

• Investimentos em máquinas e equipamentos, informática, marcas, planos de marketing e pequenas obras de remodelação.

Apoios:

• Subsídio entre 30% e 50% do investimento (60% para territórios baixa densidade);

• Apoio por posto de trabalho criado: até 15 meses (ou 18 meses para territórios baixa densidade) - limite por mês: 1 IAS.

Dotação orçamental:

• Total nacional: 320 milhões de euros

• Médio Tejo: 8 milhões de euros

• Lezíria do Tejo: 11 milhões de euros

Candidaturas:

• Avisos abertos a partir de 14 de abril

Portaria 105/2017 de 10 março

[+] Informação

capitalizar 03 1

Programa Capitalizar Disponibiliza 1.600M€ para financimentos


Linha de Crédito Capitalizar: €1.600 milhões para Micro e Pequenas Empresas, Fundo de Maneio, Tesouraria e Investimento

No âmbito do Programa Capitalizar, irão ser lançados um conjunto de instrumentos financeiros dirigidos maioritariamente a PMEs, que visam apoiar investimentos de longo prazo, criar condições mais vantajosas de financiamento para Micro e Pequenas Empresas, alavancar a oferta de soluções de financiamento para investimentos em projetos com fundos comunitários, ampliar a oferta de operações de Fundo de Maneio, e ainda, alargar o acesso a plafonds de crédito a todas as empresas.

Linha “Micro e Pequenas Empresas”

Objetivo: potenciar o acesso a financiamento para investimentos em ativos e reforço de capitais para Micro e Pequenas Empresas

Dotação: 400 milhões de euros

Linha “Fundo de Maneio”

Objetivo: financiar necessidades de fundo de maneio das empresas com financiamentos de médio prazo, em alternativa ao crédito de curto prazo e assim contribuir para uma maior estabilidade dos recursos financeiros ao seu dispor.

Dotação: 700 milhões de euros

Linha “Plafond de Tesouraria”

Objetivo: alargar a oferta de crédito em sistema de revolving, conferindo uma maior flexibilidade à gestão corrente de tesouraria.

Dotação: 100 milhões de euros

Linha “Investimento Geral”

Objetivo: financiar investimentos em ativos com elevado prazo de recuperação

Dotação: 100 milhões de euros

Linha “Investimento Projetos 2020”

Objetivo: alargar a oferta de crédito bancário para financiamento de projetos aprovados no âmbito do Portugal 2020, com enfoque em despesas elegíveis e outros segmentos de mercado em que a Linha de Crédito e Garantias IFD 2016 – 2020 possa vir a revelar-se insuficiente.

Dotação: 300 milhões de euros

(*) Cumulativamente na Dotação “Projetos 2020” o montante máximo por projeto não poderá exceder o valor correspondente a 75% do investimento elegível deduzido do incentivo aprovado e contratado no âmbito do programa Portugal 2020.

[+] Informação

terça, 14 março 2017 15:28

AO20BAIXO20120CMYK

"PPEC RIBATEJO - Promover a Eficiência no Consumo Energético das empresas do Ribatejo"

A NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém, encontra-se a dinamizar e a divulgar junto das empresas da região, um projeto financiado a 80% a fundo perdido, que tem como objetivo promover a Eficiência Energética nas empresas do Ribatejo.

O projeto, submetido pela NERSANT no âmbito do PPEC - Plano de Promoção da Eficiência no Consumo de Energia Elétrica, criado pela ERSE - Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos com o objetivo de promover a implementação de medidas que visem a adoção de hábitos de consumo e de equipamentos mais eficientes por parte dos consumidores de energia elétrica.

[+] Informação

quinta, 09 março 2017 10:39

FERSANT 2017
A NERSANT lança mais uma edição da FERSANT, Feira Empresarial da Região de Santarém, no Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), situado na capital do distrito, de 10 a 18 de junho, em paralelo com a Feira Nacional da Agricultura.
A NERSANT aposta na realização da XXVIII edição deste certame, que visa promover o tecido empresarial e a capacidade económica da região, tendo por base o sucesso das edições anteriores, onde estiveram mais de 200 mil visitantes provenientes de todo o país.
Reforçar o estatuto alcançado e disponibilizar condições extremamente favoráveis às empresas, será mais uma vez o principal objetivo, pelo que a Direção da NERSANT decidiu manter a oferta das condições vantajosas aos seus associados (desconto de 10%), para que possam garantir a sua presença na FERSANT.
A 3 meses de realização da FERSANT - Feira Empresarial da Região de Santarém, a NERSANT conta já com grande parte do espaço para a promoção das empresas preenchido. Até ao momento, o concelho de Santarém é o que mais empresas expositoras tem inscritas.

A FERSANT - Feira Empresarial da Região de Santarém, realiza-se anualmente em junho no Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), situado em Santarém, capital do distrito, e em paralelo com a Feira Nacional da Agricultura. Este certame organizado pela NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém, visa promover o tecido empresarial e a capacidade económica do Ribatejo e tem crescido de ano para ano, com cada vez mais empresas interessadas em marcar presença no evento.
Este ano, e a apenas três meses do início da feira, que este ano se realiza de 10 a 18 de junho, a associação tem já 80% do seu espaço ocupado. Em destaque está o concelho de Santarém, que vai marcar presença em força, tendo até ao momento o maior número de empresas inscritas (18 no total).
A participação em certames empresariais direcionados tem sido uma das estratégias de marketing mais proveitosas para as empresas, que tem procurado cada vez mais este tipo de feiras. Só no último ano, a FERSANT e a Feira Nacional da Agricultura acolheram mais de 250 mil visitantes provenientes de todo o país, obtendo por isso grande visibilidade regional e nacional.
Para além das evidentes mais-valias comerciais que as empresas obtêm devido à FERSANT, outra das características da feira é o facto de o certame ser um ótimo espaço para a realização de networking entre as várias empresas expositoras. Não raras vezes os empresários participantes travam conhecimentos e efetuam negócios entre si durante o certame.
Embora com 80% do espaço já preenchido, a FERSANT tem ainda alguns espaços para acolher as empresas interessadas em promover os seus produtos ou serviços. Para mais informações, os interessados devem contactar o Departamento de Associativismo, Marketing e Eventos da NERSANT, através dos contactos dame@nersant.pt ou 249 839 500.

[+] Informação

quinta, 09 março 2017 09:58

Sem1

A Câmara Municipal de Santarém em parceria com os Municípios de Rio Maior, Cartaxo e Azambuja - quatro municípios da Bacia Hidrográfica do Rio Maior - organizaram o Seminário “Potenciar sinergias na atividade pecuária”, que teve lugar no dia 7 de março, no auditório da Escola Superior de Gestão e Tecnologias, no Instituto Politécnico de Santarém.

 

Sem2

A abertura do seminário contou com a presença de Ricardo Gonçalves, presidente da Câmara Municipal de Santarém, Inês Barroso, vereadora com o pelouro da Proteção Ambiental, Carlos Frazão Correia, vice-presidente da Câmara Municipal de Rio Maior, Silvino Lúcio, vice-presidente da Câmara Municipal da Azambuja e Sónia Serra, vereadora da Câmara Municipal do Cartaxo.

 

Sem3

 

O presidente da Câmara Municipal de Santarém referiu que em 2014 surgiu a 1ª reunião entre os 4 municípios – Santarém, Rio Maior, Cartaxo e Azambuja – acerca do Projeto Intermunicipal para a Sustentabilidade da Atividade Pecuária, relacionado com a poluição que existe no rio Maior, “começou a trabalhar-se para que pudéssemos, de alguma forma, levar a um crescimento sustentável na atividade pecuária nestes 4 concelhos sem colocar em causa a biodiversidade, todas as questões ambientais que hoje dizem tanto e que são imprescindíveis no futuro a gerações vindouras. Associaram-se o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P. (INIAV) e a Federação Portuguesa de Associações de Suiniculturas (FPAS)”.

 

Sem4

Ricardo Gonçalves referiu que se pretende criar uma relação de simbiose entre a atividade pecuária e a sustentabilidade ambiental.

A vereadora da autarquia scalabitana, com o pelouro da Proteção Ambiental, Inês Barroso, apresentou o Projeto Intermunicipal para a Sustentabilidade da Atividade Pecuária (PISAP).

Referiu que o objetivo do (PISAP) é criar uma rede de parcerias com os atores relevantes, de forma a encontrar soluções que garantam a viabilidade da atividade económica, de peso na região do Ribatejo, associada a reduzidos impactes a nível do bem-estar das populações e da qualidade ambiental dos territórios. O trabalho de discussão promovido permite concluir que é necessário além, do quadro legal em vigor, agilizar os processos, exigindo por isso uma articulação das entidades com competência na matéria para alavancar a urgente mudança cultural, que garanta um quadro de competitividade com responsabilidade social e ambiental dos produtores pecuários.

No encontro, moderado por Olga Moreira, do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, foram também debatidos temas como "Normas Regulamentares da Gestão Sustentável de Efluentes Pecuários" por Patricia Moreira da Fonseca, Carla Dias e Pedro Borges da Direção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural (DGADR), “Insetos como uma solução na atividade pecuária – Uma resposta a dois desafios” por Daniel Murta, investigador CIISA-FMV e “Financiamento disponível para o setor pecuário – DLBC” por Maria João Botelho da Associação para a Promoção do Desenvolvimento Rural do Ribatejo (APRODER).

Estiveram também presentes no Seminário várias entidades públicas e autarcas dos Concelhos, bem como 3 movimentos ambientalistas – Movimento cívico Ar Puro, de Rio Maior, Movimento Coração da Cidade, de Santarém, e o Movimento Ecologista do Vale de Santarém.

 

segunda, 06 março 2017 14:30

PME Excelência 2016 em Santarém

Já é conhecida a lista das empresas de Santarém que foram distinguidas com o estatuto PME Excelência.

O estatuto PME Excelência é atribuído às empresas selecionadas pelo IAPMEI e pelo Turismo de Portugal, com base no universo das PME Líder à data de 30 de outubro de 2016, que apresentem um melhor desempenho, cumprindo cumulativamente os critérios definidos por essas instituições.

Nove empresas scalabitanas, num universo de 25 PME Líder, foram recentemente distinguidas com o estatuto de PME Excelência 2016. Distinção atribuída pelo reconhecimento da elevada performance de gestão dessas empresas.

Agri - Mendes - Agricultura e Comércio, Lda.
Américo Duarte Paixão, Lda.
Campodobrado - Sociedade Agro-Florestal, Unipessoal, Lda.
Ferplay - Fábrica de Portões, Lda.
Irricampo Sistemas de Rega, Lda.
José Carlos Jesus Cordeiro, Lda.
ST - Serviços de Restauração, Lda.
Tecadi - Indústria e Comércio de Produtos para o Sector Agro-Alimentar, Lda.
Transportes Vieira Vacas, Lda.

PME Líder 2016 em Santarém

O estatuto PME Líder, lançado pelo IAPMEI em 2009, tem como objetivo distinguir empresas com perfis de desempenho superiores, conferindo-lhes notoriedade e criando-lhes condições otimizadas de financiamento para desenvolverem as suas estratégias de crescimento e de reforço da sua base competitiva. Em 2016 obtiveram esse estatuto 25 empresas do concelho:

Agri - Mendes - Agricultura e Comércio, Lda.
Agro Ribatejo, Lda.
Alcasuper, Lda.
Américo Duarte Paixão, Lda.
Aníbal Carvalho & Filhos, S.A.
Campodobrado - Sociedade Agro-Florestal, Unipessoal, Lda.
EUROED - Máquinas e Ferramentas, Lda.
Farmácia Confiança Santarém, Lda
Ferplay - Fábrica de Portões, Lda.
Fio Dourado - Transformação e Comercialização de Produtos Olivícolas, Lda.
Francisco Patrocínio - Serviços Pecuários, Lda.
Irricampo Sistemas de Rega, Lda.
J. M. Cordeiro, Lda.
José Carlos Jesus Cordeiro, Lda.
Olitrem - Indústria de Refrigeração, S.A.
Orcopeças - Organização Comercial de Peças e Acessórios para Automóveis, Lda.
Pneusol - Sociedade de Pneus de Santarém, Lda.
Rafaeis Mármores, S.A.
Ribatubos - Tubagens e Acessórios, Lda.
Sociedade Agrícola da Quinta da Ribeirinha, Lda.
ST - Serviços de Restauração, Lda.
Tecadi - Indústria e Comércio de Produtos para o Sector Agro-Alimentar, Lda.
Transportes Vieira Vacas, Lda.
VASVERDE - Sociedade Agrícola Unipessoal, Lda
Vítor Almeirão, Lda.

 

sexta, 24 fevereiro 2017 11:40

DEFESA EMPREENDE

TRANSFORMAR O POTENCIAL HUMANO DAS FORÇAS ARMADAS NO POTENCIAL ECONÓMICO DO PAÍS

O programa Defesa Empreende é uma iniciativa do Ministério da Defesa Nacional que tem como principal missão, fomentar o empreendedorismo junto dos ex-militares ou militares do Regime de Contrato (RC), sobretudo na sua fase de transição para a vida civil.

OBJETIVOS

O Programa Defesa Empreende pretende cumprir os seguintes objetivos:

1. Promover e difundir uma cultura de empreendedorismo juntos dos militares e ex-militares do RC
2. Disponibilizar informação essencial a quem pretende criar o seu próprio emprego ou consolidar um projeto empresarial
3. Capacitar os candidatos em áreas essenciais para o arranque efetivo de um negócio
4. Prestar assistência técnica especializada na estruturação de ideias de negócio
5. Apoiar e acompanhar as melhores ideias de negócio

FASES 

O Programa foi estruturado em várias fases sequenciais de forma a promover o acompanhamento adequado das melhores candidaturas, desde a ideia até à implementação do projeto empresarial.

Fase 1 - Candidatura ao programa «Defesa Empreende»

Os militares e ex-militares do RC inscritos no CIOFE podem se candidatar preenchendo o Formulário de Candidatura com uma apresentação sumária da sua ideia. Os formulários devem ser enviados em formato pdf para o endereço eletrónico do CIOFE colocando em assunto DE2017. As candidaturas selecionadas terão acesso a sessões de apoio obrigatórias de forma a prepararem a sua apresentação diante de um júri que as avaliará segundo os critérios definidos no Regulamento do Programa.

Fase 2 - Reforço das competências dos promotores

Os candidatos selecionados pelo júri na fase anterior vão passar por um Programa de Capacitação, tendo em vista desenvolver a sua ideia de negócio. Este programa consistirá em workshops, reuniões de mentoria e acompanhamento individual para cada projeto. O desempenho dos promotores vai sendo avaliado ao longo do programa tendo ainda que realizar um documento sobre o seu projeto e uma apresentação final diante de um júri constituído para o efeito.

Fase 3 - Prestação de assistência técnica especializada e/ou Acompanhamento do negócio

Nesta fase, os projetos selecionados da fase anterior irão ter uma tutoria especializada, centrada nas necessidades individuais de cada promotor. Nesta fase poderá ser desenvolvido o Plano de Negócios ou o Plano de Viabilidade, consoante as necessidades de financiamento de cada um, ou, prestada assistência em determinadas áreas específicas de acordo com as exigências de cada projeto ou empresa.

[+] Informação

[Formulário]

[Regulamento]

startup str

Startup Santarém líder nacional na submissão de candidaturas ao Vale Incubação

A Startup Santarém foi a entidade que mais candidaturas submeteu ao Vale Incubação no âmbito da estratégia nacional para o empreendedorismo Startup Portugal.

O Vale Incubação uma das medidas lançado em junho de 2016, cujas candidaturas decorreram até 31 de janeiro, contaram com 120 candidaturas provenientes de todo o país, tendo 22 delas sido preparadas e submetidas pela NERSANT através desta sua incubadora, que assume assim liderança nacional ao submeter 18% das candidaturas.

O distrito de Santarém foi o distrito que mais candidaturas apresentou a este incentivo ao Governo. Em dezembro último, a NERSANT mobilizou os empresários da região para conhecer o Vale Incubação, tendo realizado duas sessões de esclarecimento sobre o incentivo, em Torres Novas (Médio Tejo) e em Santarém (Lezíria do Tejo).

[+] Informação

foto 

Nos meses de Fevereiro, Março, Abril e Maio de 2017, decorrerão, no Centro de Exposições, em Santarém, os Concursos Nacionais, de Carnes, Sal e Condimentos, Conservas de Pescado, Ervas Aromáticas e Infusões, Licores, Chocolates, Produtos de Confeitaria, Alheiras, Enchidos, Presuntos e Ensacados, Pão, Broas e Empadas, Folares e Bôlas, Doçaria Conventual e Popular, Queijos, Vinagres, Azeitonas, Gelados, Sidras e Cervejas, Azeites e Mel.

O objetivo principal destes concursos é premiar, promover, valorizar e divulgar os genuínos produtos tradicionais portugueses. Enquadram-se no âmbito de um conjunto de iniciativas promovidas pelo CNEMA, onde se destaca o Salão Prazer de Provar, integrado na Feira Nacional da Agricultura / Feira do Ribatejo, que se realizará de 10 a 18 de Junho de 2017.

[+] Informação

segunda, 13 fevereiro 2017 10:24

 

EC Logo

EC Comunicação

Soluções para ajudar as Micro e PME’s a Crescer. De uma forma muito profissional, recorrendo a especialistas criar soluções, ferramentas de sucesso para sua empresa.

Baixo investimento e retorno num curto, médio prazo e sempre com boa disposição, empenho e profissionalismo.

 
quarta, 08 fevereiro 2017 12:23

Industria 4.0 A

Governo apresenta Estratégia “Indústria 4.0”

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, acompanhado do secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, apresentou, no Politécnico de Leiria, no passado dia 30 de janeiro, a Estratégia “Indústria 4.0”.

A Estratégia “Indústria 4.0” visa, como um dos objetivos, garantir que os empresários e gestores das empresas portuguesas estão preparados para enfrentar um mundo em que só indústrias “inteligentes”, totalmente adaptadas ao mundo digital, conseguem ser competitivas.

O programa foi debatido pelo Governo “com mais de 200 entidades e empresas em grupos de trabalho para diferentes sectores. Cruza o Ministério do Emprego, o Ministério da Educação e o Ministério da Ciência. Consiste na aplicação de 60 medidas, que resulta desse trabalho conjunto com mais de 200 entidades e empresas, constituído por grupos de trabalho por áreas setoriais , como o retalho, o turismo, o automóvel, os moldes ou a agroindústria”. Entre os grupos de trabalho, estiveram incluídas empresas como a Google, a Bosch, a Altice, a Siemens ou a Volkswagen.

O termo “Indústria 4.0” começou a ser usado pelo governo alemão quando, em 2012, lançou um plano de modernização industrial com essa designação. Depois de uma primeira revolução industrial que resultou do aparecimento das máquinas a vapor, de uma segunda que ocorreu com o uso da eletricidade e a produção em cadeia e em massa e de uma terceira que aconteceu assim que se automatizou a produção através do uso de computadores, podemos estar agora perante uma quarta revolução industrial, em que, para além da automatização, se assiste a uma total e permanente ligação das máquinas com outras máquinas e com as pessoas, o que torna todo o processo produtivo muito mais inteligente.

A iniciativa vai permitir a mais de 20 mil trabalhadores ganhar novas competências digitais, nomeadamente ao nível dos seus quadros técnicos e de gestão, para além dos próprios empresários. O objetivo é preparar as empresas para as mudanças, atribuindo aos seus trabalhadores as competências técnicas necessárias.

A medida prevê uma oferta específica de formação para dirigentes, lecionada em escolas de gestão e promovida por entidades públicas e privadas.

Outra medida do plano do Governo inclui a atribuição de um vale “Indústria 4.0” no valor de 7500 euros a Pequenas e Médias Empresas para que estas adotem tecnologias que permitam mudanças disruptivas nos seus modelos de negócio.

Entre as medidas apresentadas destacam-se:

Vale Indústria 4.0, que se destina a apoiar a transformação digital através da adoção de tecnologias. Estes vales têm o valor de 7.500 euros e deverão apoiar mais de 1500 empresas, representando um investimento público de 12 milhões de euros.
Programa de Competências Digitais, que permitirá a formação de mais de 20 mil trabalhadores, que vão ter formações em TIC, em vários níveis”.
• Cursos Técnicos i4.0, cujo objetivo é criar momentos de interface entre as escolas e a indústria.
• Learning Factories, que visa a promoção e apoio na criação de infraestruturas físicas com equipamento tecnológico que recriem ambientes empresariais i4.0.
• Missões Internacionais, com comitivas nacionais, lideradas por representantes do governo.
• ADIRA Industry 4.0, uma aposta na criação de soluções de hardware e software, implementando serviços de dados e comunicação entre máquinas o que irá permitir à empresa configurar produtos/serviços inovadores.
• FOOTURE 2020, Desenvolvimento do Plano Estratégico do cluster do Calçado português que visa Implementação do roteiro do Cluster do Calçado para a Economia Digital.
• DONE Lab, Desenvolvimento de um laboratório em Portugal para a manufatura aditiva avançada de protótipos e ferramentas.
• 4AC Industry 4.0, Acelerator, Incubator, Prototyping: Desenvolvimento de uma aceleradora, incubadora e espaço de produtização e prototipagem para a Indústria 4.0.
• Consórcio PSA Mangualde, Investimento estimado de 12 milhões de Euros, desenvolvida pela PSA de Mangualde em consórcio com 3 universidades e 5 parceiros tecnológicos.

 

terça, 07 fevereiro 2017 15:40

panoramica 

A Câmara de Santarém e a Nersant vão criar uma incubadora de empresas na freguesia de Alcanede.

A informação foi avançada pelo presidente da autarquia, Ricardo Gonçalves, durante o lançamento do projeto “Ribatejo Empreende”, que decorreu na passada sexta-feira, 3 de fevereiro, na Start-Up Santarém.

O presidente da autarquia adiantou que o projeto, que inclui obras de remodelação do edifício do antigo Jardim de Infância, será financiado pelo Portugal 2020, ao abrigo das verbas disponíveis através da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT).

“Esperamos que esteja concluída e pronta a funcionar no final do Verão”, adiantou Ricardo Gonçalves que destacou a importância económica do norte do concelho, onde se localização importantes industrias, como a da extração de pedra, e outras empresas exportadoras, como a Inducol ou a Olitrem.

A incubadora de empresas no norte do concelho, servirá as freguesias de Alcanede, Amiais de Baixo, Abrã e Tremês.

[+] Informação

 

Contactos

  •  gai@cm-santarem.pt
  •  +351 243 304 601